Sangue BomA  nova novela da TV Globo Internacional, ‘Sangue Bom’, prevista para estrear em abril. A comédia urbana e contemporânea de Maria Adelaide Amaral e Vincent Villari, que se passa em São Paulo, vai tratar de mundos distintos e vidas que se cruzam. Apesar de tantas diferenças, a busca pela felicidade, seja ela qual for, aproximará seis jovens de personalidades diferentes.

O material abaixo traz o resumo da trama, a descrição dos personagens e entrevistas com os autores e com o diretor de núcleo Dennis Carvalho e o diretor-geral Carlos Araújo

Apresentação da novela SANGUE BOM

Holofotes. Aplausos de uma multidão. Flashes e capas de revistas. Esse mundo de fama e celebridade se tornou objeto de desejo. Almejado por muitos. O sucesso instantâneo, fruto – por que não? – do acaso, é ovacionado. Que valores são esses? O que está em cartaz atualmente? Vale ser ou ter? Ou parecer? São muitas as perguntas, várias as respostas e muitas as possibilidades. Mas uma coisa é certa: continuamos todos em busca dessa tal felicidade, não importa de que forma.

Estes são alguns dos temas da comédia urbana e contemporânea de Maria Adelaide Amaral e Vincent Villari. Com direção de núcleo de Dennis Carvalho e direção geral de Carlos Araújo, ‘Sangue Bom’ tem estreia prevista para o mês de abril.  É uma novela escrita com Álvaro Ramos, Letícia Mey, Juliano Righetto, Marta Nehring, Rodrigo Amaral e Tati Bernardi, com direção de Dennis Carvalho, Carlos Araújo, Maria de Médicis, Luísa Lima e Cristiano Marques.

A trama
Mundos distintos e vidas que se cruzam. Apesar de tantas diferenças, a busca pela felicidade, seja ela qual for, aproximará seis jovens de personalidades diferentes. O florista Bento (Marco Pigossi), a it girl Amora (Sophie Charlotte) e o bad boy Fabinho (Humberto Carrão) se conheceram ainda crianças no bairro da Casa Verde, em São Paulo, no lar de adoção de Gilson (Daniel Dantas) e Salma (Louise Cardoso).

Malu (Fernanda Vasconcelos), uma jovem doce, justa e avessa à fama, é irmã de criação de Amora. Giane (Isabelle Drummond), uma menina meiga que esconde sua delicadeza em seu jeito descolado e sem vaidades, trabalha com Bento em sua floricultura, a “Acácia Amarela”. Maurício (Jayme Matarazzo) é um playboy amoroso que só quer curtir a vida, mas que tem um caráter que vale ouro.

É em torno deles que a trama principal de ‘Sangue Bom’ se desenrola. Uns preferem a simplicidade representada por uma flor. Outros precisam da idolatria. No dia a dia, porém, todos querem mesmo é ser reconhecidos pelo que são – ou tentam ser. A fome de amor é comum a todas as pessoas, independente de suas aspirações.

É sempre lindo andar na cidade de São Paulo
É na selva paulistana da moda, das tendências e das capas de revistas que começa a história de ‘Sangue Bom’. Giane (Isabelle Drummond) ama Bento (Marco Pigossi), que ama Amora (Sophie Charlotte), que gosta de Maurício (Jayme Matarazzo), que é o grande amor de Malu (Fernanda Vasconcelos). Fabinho (Humberto Carrão) não ama ninguém, a não ser ele mesmo, e faz de tudo para conquistar dinheiro e poder. Mas o mundo dá voltas e tudo pode mudar.

Bárbara Ellen (Giulia Gam) é o pivô da união de alguns personagens e da separação de vários outros. Atriz decadente, a dondoca é adepta da fama a qualquer preço. Atualmente é casada com Jonathan James (Pablo Morais), um rapaz mais novo que conquistou espaço na mídia e dinheiro por ser casado com ela. Mas, com a morte do marido, logo investirá em outro bom partido, Natan Vasquez (Bruno Garcia), o futuro sogro de sua filha Amora. É tão interesseira que faz de tudo para aparecer. É capaz de destruir casamentos, inventar histórias e interferir até mesmo na vidas dos filhos. À procura de poder e fama, no passado se casou com o famoso cineasta  Plínio Campana (Herson Capri), que sustenta a casa até hoje.

Ele, na época, era apaixonado por Irene (Deborah Evelyn), uma atriz em ascensão. O casal caiu na armadilha de Bárbara para separá-los. Sem que ele percebesse, a dondoca conseguiu fazer com que Irene pegasse os dois numa situação íntima. Magoadíssima com a traição de Plínio, Irene largou tudo e fugiu, carregando um grande segredo que envolve não somente a vida dela, como a do cineasta.

Ele nunca soube que seu grande amor o deixou por se sentir traída, pois não viu quando a ex pegou os dois em flagrante. Plínio pensa, então, ter sido abandonado por ela. Aproveitando-se da situação frágil do cineasta, Bárbara investe em um romance e ele acaba caindo na lábia dela. Os dois se casam e têm a filha Malu (Fernanda Vasconcelos). Mas ele não aguenta muito tempo e o casamento deles acaba.

Uma das maneiras de Bárbara se manter na mídia é adotando crianças, fingindo ser generosa e ótima mãe. Amora (Sophie Charlotte) foi a primeira. Antes de ser adotada por Bárbara, a criança teve uma rápida passagem pelo lar de Gilson e Salma, onde conheceu Bento (Marco Pigossi) e Fabinho (Humberto Carrão). Linda, com  perfil físico para a moda e com a influência da mãe adotiva, logo se tornou a principal it girl do país. Sempre à frente de holofotes, ela virou referência para as meninas da cidade e objeto do desejo para os rapazes.

Além de Amora, Bárbara adotou também Luz (Ana Graciela), Kevin (Marcus Rigonati) e Dorothy (Ayumi Irie). Luz é a mais velha dos três e grande aliada de Malu, que não aguenta as loucuras da mãe. Segundo Bárbara, a menina veio do Acre. Kevin, o filho do meio, Bárbara garante ter “importado” do Zimbábue ainda aos três anos de idade. Dorothy, de apenas nove anos, é precoce e já sabe como fazer negócios. Bárbara garante que ela é sobrevivente daquele famoso tsunami que atingiu a Tailândia. Mas o tempo contará uma história diferente como, aliás, a do Kevin e da Luz. Bárbara tem uma imaginação prodigiosa e sempre conta a versão que  mais a favorece.

Mas Amora (Sophie Charlotte) é, sem dúvida, a mais parecida com Bárbara, que vive influenciando suas escolhas. O primeiro pretendente a se envolver com a jovem é Maurício. Filho do famoso publicitário Natan Vasquez (Bruno Garcia) e da adorável Verônica (Letícia Sabatella). Apaixonado pela it girl, Maurício (Jayme Matarazzo)  nem imagina que sua amiga de infância e futura cunhada Malu (Fernanda Vasconcelos) nutre por ele uma paixão platônica.

A seus olhos, tem a família perfeita e, bom rapaz que é, pretende copiar o bom relacionamento que acredita ter em casa para seu casamento com Amora. Está sempre disposto a ajudar a namorada e faz de tudo por ela.

É Preciso saber Viver
Mas a vida de Amora (Sophie Charlotte) vai mudar com a reaproximação de Bento (Marco Pigossi)… Tudo acontece quando Malu (Fernanda Vasconcelos) o procura para um trabalho sobre crianças que cresceram em lares adotivos. Durante a conversa, ela descobrirá que o rapaz conhece Amora desde criança. Ela percebe que, apesar de nunca mais ter visto Amora, Bento nutre um carinho especial por ela, pois acredita que a it girl ainda é a boa menina que conheceu.

Mas as coincidências não param por aí… O destino coloca Bento e Amora em um mesmo evento no bairro da Casa Verde. Ela reconhece pelo olhar o rapaz que a fez tão feliz durante sua infância. E, mesmo a contragosto da mãe, decide procurá-lo. É quando Amora decide admitir para si própria que seus sentimentos do passado são mais fortes do que ela imaginava.

Quem também chegará para virar tudo do avesso é Fabinho (Humberto Carrão). O bad boy foi adotado por um casal rico quando criança, mas viu a fortuna ir embora com a morte do pai. Cansado de viver sem luxo resolve voltar a São Paulo em busca de seus verdadeiros pais e do dinheiro da família. Ao ver uma reportagem sobre Amora, de quem inveja o sucesso, Fabinho percebe uma foto de Irene (Deborah Evelyn) e Plínio (Herson Capri) juntos.  Ele percebe que Irene usa o mesmo anel que foi deixado com ele quando abandonado na casa de Gilson (Marco Ricca) e Salma (Louise Cardoso). Com isso, deduz que pode ser filho do ex-casal.

A ingratidão de Fabinho será motivo de sofrimento para Margot (Noemi Marinho), sua mãe adotiva. Com a morte do marido, passou a fazer das tripas  coração para criá-lo sozinho e nunca recebeu do rapaz o carinho e o respeito merecidos.

Já a doce e madura Malu, que, até então, gosta de Maurício, descobrirá em Bento um carinho especial. Encantada com a pureza, simplicidade e essência do florista, Malu ficará confusa em relação aos seus sentimentos e até mesmo seu pai perceberá em Bento uma afinidade maior com ela. Isso será aflorado principalmente quando tiver a chance de se aproximar de Maurício e perceber algumas atitudes que irão incomodá-la. E quanto mais conviver com Bento, mais Malu enxergará o carinho e a leveza com que ele leva a vida.

Quem vai se incomodar com toda essa história é Giane (Isabelle Drummond), filha de Silvério (Norival Rizzo). Apesar de ser extremamente carinhosa e nutrir uma paixão secreta por Bento, a menina esconde seu jeito de ser e seus sentimentos. Ela passa uma imagem mal-humorada e dura e o florista consegue vê-la apenas como uma grande irmã, o que a deixa decepcionada. No fundo, Giane é uma garota com sonhos e aspirações iguais ao de todas as outras. Torcedora fanática do Corinthians, ela adora jogar bola com os meninos da vizinhança, o que a torna uma “moleca”. Sua relação com Bento existe desde criança, pois foi seu pai quem o encontrou e o levou para a casa de Gilson e Salma.

O Acaso vai me proteger
Às vésperas do seu casamento com Amora, Maurício também terá que lidar com a separação dos pais. O relacionamento perfeito, que só existia aos olhos de Verônica (Letícia Sabatella) e do filho, vai começar a ruir ao poucos, quando ela perceber que o marido não é o exemplo de pessoa que ela sempre imaginou.

Empresária de sucesso, Verônica é dona da Para Sempre. Quando solteira, sonhava em ser cantora, mas desistiu para viver à sombra do marido. Mulherengo, Natan não dará o devido valor que a esposa merece, mas logo será desmascarado, o que dará a liberdade para Verônica sonhar alto.

Outras Histórias de encontros… e desencontros
Apaixonado por Lívia (Letícia Cannavale), herdeira da família Pais para a qual trabalhava como motorista, Wilson (Marco Ricca) viu seu amor sumir grávida no mundo. Tudo aconteceu quando Damaris (Marisa Orth), se sentindo rejeitada por ele, resolveu “colocar a boca no trombone” e foi à mansão da família anunciar um romance com o motorista da casa. Isso fez com que Lívia, triste, aceitasse a proposta da mãe de se afastar da cidade sem deixar rastros. A última notícia que Wilson recebeu sobre ela foi de sua morte durante o parto, cujo filho ele também acredita não ter sobrevivido.

Atordoado, ele acabou se entregando a Damaris (Marisa Orth), a filha de um feirante de sucesso com quem teve um relacionamento até se apaixonar por Lívia. Casou com ela, com quem teve três filhos – Tito (Rômulo Arantes Neto), Mel (Carla Salle) e Vinny (Maurício Destri) – e ao lado do sogro conseguiu crescer na vida, para alegria da esposa. Com o dinheiro que conquistou, Wilson montou o Kim Park, parque de diversões.

O negócio mantém a família e os luxos de Damaris. Wilson se tornou outra pessoa, rude e sem sentimentos, e apesar de ser dono de um parque de diversões, ele não tem paciência para crianças, nem mesmo para seus filhos. E isso ainda poderá lhe causar muitos problemas.

Sua antiga patroa, Glória Pais (Yoná Magalhães), nasceu em berço de ouro, mas aos poucos viu seus bens se esvaírem. Após a morte de Lívia, nunca mais conseguiu ser a mesma. Glória também é mãe de Perácio Pais (Felipe Camargo), casado com Brenda (Letícia Isnard), uma prima distante que tem dois filhos: Xande (Felipe Lima), o amigo de aluguel, que descola uns trocados oferecendo companhia para pessoas carentes de atenção, e Tábata (Samya Pascotto), assessora de Bárbara Ellen.

O sonho de Filipinho
Apesar de criar os enteados, Perácio nunca teve contato com o próprio filho Filipinho (Josafá Filho), do seu relacionamento com a garçonete Rosemere (Malu Mader). Quando jovem, ela se envolveu com Perácio e engravidou, mas ele duvidou que fosse o pai da criança, mesmo ouvindo de Rosemere que antes dele não existiu ninguém. Isso a deixou tão frustrada que ela fez com que pai e filho nunca fossem próximos, abrindo mão de tudo para criar o filho.

Filipinho é um rapaz introspectivo, desajeitado, mas que sempre ouviu a mãe dizer que ele seria um grande sucesso.  Acreditando nisso, decidiu focar sua vida na busca pela fama. O que vai fazer com que ele se meta em diversas confusões. Mas bom menino que é fará sempre de tudo para ajudar a mãe.

Apesar dos problemas e dificuldades, Rosemere teve a ajuda da sua atípica família. Sua irmã Odila (Cris Nicolotti) vive as turras com o ex-marido Nestor (Wandi Doratiotto), com quem divide a casa, literalmente. Fica um de cada lado e ai de quem ultrapassar a linha divisória criada por eles.

Tiveram uma filha, Renata (Regiane Alves), orgulho da família. Ela trabalha na empresa de Verônica e está noiva de Érico (Armando Babaioff), filho de Gilson e Salma. Focada, inteligente e comportada, Renata sempre teve uma vida regrada, até reencontrar Tito (Rômulo Arantes Neto), primo de seu noivo, que vive cobiçando a moça.

Filho de Damaris e Wilson, o bon vivant Tito adora uma conquista. No passado, o rapaz se relacionou com Lara (Maria Helena Chira), desafeto de Amora. Apresentadora principal doLuxury, a bela vive às farpas com a it girl que assumiu seu posto no programa durante sua licença-maternidade.

Já o conservador e apaixonado Érico (Armando Babaioff) trabalha na Class Midia, agência de Natan Vasquez. Sempre dedicado ao trabalho, o rapaz começará a questionar as atitudes do seu chefe, o que não será bom para ele. E ao mesmo tempo começará a ter problemas com sua noiva Renata, que não estará mais tão certa do casamento quanto ele. Mas, o que Érico não imagina é que uma grande virada mudará toda a sua história.

Além de cuidarem de crianças que foram abandonadas, Gilson e Salma são donos do Cantaí, um divertido bar da região. Atualmente, vivem também em sua casa os órfãos Socorro (Tatiana Alvim), presidente do fã clube de Amora, e o webdesigner Jonas (Sergio Malheiros), muito amigo de Bento.

Cenografia e Produção de Arte
Leveza e suavidade são as palavras-chave para a cenografia de “Sangue-Bom”. Para montar os mais de cinquenta ambientes da trama, a equipe trabalhou com uma paleta bem diversificada, porém suave. “A ideia era não roubar atenção principalmente das flores, que fazem parte do universo de um dos principais personagens, Bento”, explica Fábio Rangel. Só na cidade cenográfica, que tem 7, 5 mil metros quadrados, por exemplo, são utilizados cerca de 600 vasos de flores por semana para as gravações das cenas.  “E muitas delas ficam no cenário do Bento, que ocupa 400 m2 do local”.

A cidade cenográfica de ‘Sangue Bom’ foi montada após uma pesquisa minuciosa da equipe pelo bairro da Casa Verde, na zona Norte de São Paulo. Eles procuraram explorar no Projac um terreno com desnível, característico do local em São Paulo, assim como dividir o espaço em área comercial e residencial. Na parte onde ficam o bar Cantaí e a cooperativa de Bento, a “Acácia Amarela”, existem mais sete construções. No total, incluindo as casas dos personagens deste bairro, somam-se 30 espaços cenográficos.

No estúdio, o maior cenário é o da personagem Bárbara Ellen (Giulia Gam). Só a sala soma 220 m2. Incluindo os três quartos o total chega a mais de 450 m2. A montagem deste espaço ocupa praticamente todo o estúdio e tem uma característica bem peculiar. “Para a casa da Bárbara usamos tons de dourado com branco para remeter a ideia de diva. É um cenário com tons mais fortes”, adianta Rangel.

Outro cenário grandioso da novela é a agência Class Mídia. Com pouco mais de 300m2, ela é dividida em diversos ambientes interligados, como uma empresa de verdade. Tudo montado dentro do estúdio. No espaço tem a sala do diretor, Natan (Bruno Garcia), a recepção, um cômodo de criação onde cabem 15 pessoas e ainda uma sala de recreação, com mesa de pingue-pongue.

A produção de arte abusou dos tons mais fortes no parque que se transformará no Kim Park. “Como não tínhamos flores, nos permitimos usar tons de vermelho, roxo, verde, laranja e amarelo. Brincamos com o lúdico. A referência foi o circo”, conta a produtora de arte Paula Scamparini. Para estas gravações, a equipe contou com uma figuração artística de 20 pessoas, desde profissionais de perna de pau até patinadores.

Já nas cenas com flores, a ordem era evitar a exuberância de cores. A protagonista era a própria natureza. “Elas têm uma representatividade muito forte. Ajudam até a contar a história de certa forma”, diz o produtor Marco Cortez, que ao longo dos meses conheceu todos os tipos de folhagens, espécies, arranjos e buquês, já que, apenas para abastecer a cidade cenográfica, será necessário um caminhão de flores por semana.

Nas externas as flores também foram importantes. Para o casamento de Tina (Ingrid Guimarães), por exemplo, foram usados 250 vasos de orquídeas, 700 rosas, 200 maços de lisiantos, 250 samambaias, além de muito verde. Mas nada superou a gravação da primeira cena da novela, que irá ao ar na estreia. Foram flores de todos os tipos: açucenas, rosas, orquídeas, sete ervas. A gravação começou logo ao amanhecer, no Ceagesp e, além de contar com os produtores locais, a equipe recebeu um caminhão de flores de Holambra, só para movimentação das cenas dos protagonistas na “Acácia Amarela”, a cooperativa fictícia de Bento.

Figurino
Urbano e moderno, o figurino tem um ar jovial. “Temos os ‘mauricinhos’, os grafiteiros, os profissionais de publicidade, da mídia, da imprensa, de cinema, etc. E todos conceituados no cenário da cidade de São Paulo, referência de moda no país”, explica Helena Gastal, figurinista da novela.

Para montar o guarda-roupa do elenco de ‘Sangue Bom’, a equipe mergulhou fundo nesse conceito jovem e moderno e fez uma ampla pesquisa, com cara de revista, como a própria figurinista nomeia.  “É um universo muito variado, muito gostoso de trabalhar, além disso, é uma novela paulista e isso muda o figurino que costumamos trabalhar no Rio de Janeiro”, complementa.

Para a elaboração desse conceito, a figurinista e a sua equipe fizeram uma imersão no mundo da publicidade, dos programas de moda, e das it girls e blogueiras conhecidas no país. No caso da Amora (Sophie Charlotte), foi abordada a sua paixão por sapatos. Desde novembro, pares e mais pares de scarpins, sapatilhas, mocassins e sandálias foram procurados por todo o Brasil para preencher o closet criado para a personagem.

Esse amor por calçados estará explícito em diversas cenas, tornando o sapato mais do que um objeto, quase um personagem. “No quarto dela os sapatos ficarão expostos no closet, muitas vezes com pares repetidos”, antecipa.

Totalmente inverso ao glamour de Amora, Bento terá um figurino mais suave, já que não se preocupa com o visual. “Ele é da terra. Um rapaz que lida com natureza”, conta. Nesse caso, ela avisa que o personagem aparecerá mais de calça jeans e camiseta, com roupas mais básicas, características que tornam seu visual despojado.

Além disso, os tons do figurino de Bento serão mais neutros, puxando para o azul, verde, cinza escuro, em contraste com o da personagem Giane (Isabelle Drummond). O figurino dela utilizará cores mais vibrantes e a personagem aparecerá muitas vezes dividindo cena com ele.

Para manter as roupas da high-society paulistana chiques, o colorido foi bem equilibrado e distribuído. “A Amora, por exemplo, usa basicamente preto com branco, nude, cinza e marfim. Às vezes, a personagem colocará um vermelho ou dourado”, esclarece.

Já Bárbara Ellen (Giulia Gam) abusará de tudo. Seu figurino é fora dos padrões, podendo ser considerado over, termo em inglês muito usado no mundo da moda quando se veste peças inadequadas. Segundo Helena, as roupas refletem o resquício do seu deslumbre com o estrelismo, já que se trata de uma atriz decadente, que não se convenceu de que o tempo passou.

Caracterização
O glamour e as particularidades de São Paulo também permearam o conceito da caracterização dos personagens de ‘Sangue Bom’. “São Paulo é considerada a capital de moda do país. Tivemos que levar isso em consideração”, explica Nubia Maisa, responsável pela caracterização. O realismo é outra característica marcante. “Fugimos do visual construído, com exceção de alguns papeis como o da Giulia Gam e da Marisa Orth”, completa o caracterizador Fernando Torquatto.

A Amora (Sophie Charlotte), a it girl da novela, é um exemplo da elegância e do charme abordado na trama. “A personagem da Sophie usa o que será ou pode ser tendência. Ela é copiada pelas mulheres”, descreve Torquatto. Segundo eles, Amora tem estilo próprio, mas estará sempre elegante e bem vestida, pois é preocupada com a aparência, diferente de Malu (Fernanda Vasconcellos).

“A Malu é bonita e se preocupa em manter boa aparência, mas é mais tradicional”, conta Nubia. Para a personagem da Fernanda, a maquiagem e o cabelo escolhidos são mais naturais. “A maquiagem dela é mais corretiva e o cabelo é seco ao natural. Quando necessário usamos apenas produtos para dar mais leveza”, explica Nubia. Já Giane (Isabelle Drummond) não tem vaidade alguma. Com jeito muito moleca, a personagem ganhou um ar despojado, com cabelo curtinho, que muitas vezes aparecerá preso com um elástico. “Mas, mesmo para parecer sem nada, usamos corretivo e uma boa base”, conta Torquatto.

A mesma inversão de vaidade acontece com os protagonistas masculinos de ‘Sangue Bom’. Maurício (Jayme Matarazzo) tem o cabelo mais ajeitado e se preocupa mais com o visual. “Cortamos o cabelo do Jayme e deixamos sempre bem penteado para dar o ar de “Mauricinho”. Além disso, a barba está sempre feita”, afirma Nubia. O extremo disso é Fabinho (Humberto Carrão), o bad boy da novela. Justamente a fim de incrementar o jeito revoltado do rapaz, Nubia escolheu deixar o cabelo maior e a barba bem serrada. “Fabinho é mais largado”, justifica.

Já Bento é um trabalhador sem vaidade e tem uma beleza natural. “Por isso deixamos o cabelo dele um pouco comprido e a barba curtinha para dar essa ideia de que ele não tem vaidade e se preocupa com o trabalho”, explica.

Algumas personagens merecem destaque pela graça e a liberdade de brincar na hora de compor as caracterizações. Exemplo disso são Damaris (Marisa Orth) e Bárbara Ellen (Giulia Gam). “A Bárbara é uma atriz falida que sempre quer chamar atenção. Nela usamos apliques, perucas, cílios postiços, além de brincar com a maquiagem”, diverte-se. E a brincadeira continuou com a personagem de Marisa Orth. “Pudemos ousar ainda mais com a Damaris, pois ela não tem bom senso e educação alguma. Está sempre inadequada e espalhafatosa”, conclui Nubia.

As Gravações em São Paulo
Zona norte de São Paulo, nas redondezas da Casa Verde. Lá a vida comunitária ainda resiste. Os vizinhos se conhecem pelo nome e ainda se comemora e se diverte junto, mesmo que seja com muito pouco… É aí que começa a história ‘Sangue Bom’. “A particularidade da Casa Verde é que, além de ser um dos últimos bairros com intensa vida comunitária, é uma área com vida boêmia e musical intensa, temas que serão abordados na novela”, explica Maria Adelaide. “Lá ainda existe essa consciência do outro muito forte”, complementa Vincent.

E nada melhor do que começar a gravar onde, de fato, é o ponto de partida da trama. A equipe da novela passou 40 dias em São Paulo, Holambra e Campinas para captar as primeiras imagens. Para isso viajaram para a capital paulista 150 pessoas, quatro caminhões, 80% do figurino da novela, além de grande parte do material de produção de arte e caracterização. “Tivemos um planejamento minucioso. Por isso mesmo, por mais agitado que seja, enfrentamos uma rotina calculada”, explica Dennis Carvalho.

Além dos bairros da zona norte, como Casa Verde e Jardim São Bento, a equipe também gravou no parque do Povo, Ibirapuera, Shopping JK, além de alguns museus e espaços culturais, como o Museu Afro-Brasil e o Museu da Língua Portuguesa. Em Campinas, grande parte do elenco esteve reunido em cenas no fictício Kim Park. Para esta gravação, a equipe de produção de arte precisou deslocar um caminhão só com o material gráfico e adereços que transformaram o local no parque de diversões da novela.

Foto: Maurício (Jayme Matarazzo) e Malu (Fernanda Vasconcellos)
Crédito: TV Globo/Bob Paulino

‘Sangue Bom’ tem estreia prevista para o mês de abril no canal internacional da Globo.